Coisas de Mercado que eu ainda não entendo...

Uma das situações mais comuns durante minhas consultorias é lidar com as empresas produtoras dos mais variados tipos de produtos e serviços para o mercado pet, sejam eles medicamentos, acessórios, produtos de higiene e estética ou brinquedos ..faço o levantamento do mix de varejo que será interessante para aquele estabelecimento, faço um contato prévio com as empresas escolhidas, e então recebemos a mesma resposta:

"Vamos enviar um representante, o representante que atende sua cidade e seu bairro é fulano de tal!"

Entro em contato, explico quem sou, qual meu papel e marcamos um horário para atender o profissional de vendas para que ele possa nos mostrar seu portfólio de produtos e então começam alguns problemas...

Não vou e nem quero generalizar, pois temos excelentes profissionais de venda, veterinários ou não nos atendendo em vários locais, mas existem situações que quero citar aqui para que o próprio mercado se reconheça e pense se essa é mesma a melhor posição, a melhor atitude...

Primeira situação... O Vendedor simplesmente passar a se sentir o responsável único e irrestrito pela formação do estoque da loja, pensando única e exclusivamente na sua meta mensal a ser atingida, agindo como se aquela fosse a última compra daquele estabelecimento.
Muitas vezes ele se esquece que estou ali como consultor e entra em uma competição surreal, querendo mostrar que ele conhece o mercado e que el é que deve compor o mix de varejo da loja!
Reconheço de longe este tipo de profissional e vejo nele um dos problemas de nosso mercado, pois se achando acima do bem e do mal, agem de forma arrogante e mesmo irresponsável.

Segunda situação... O Vendedor é uma simpatia na apresentação dos produtos, vende produtos de tudo que é empresa pet, diz que todos vendem muuuuiiitooooo, "tira " o pedido, e aí...começam os problemas... atrasos, falta de produtos no pedido, erros de preenchimento da nota..Você liga para o vendedor e toda aquela simpatia some.. e você ainda é obrigado a ouvir que o problema não é dele, e sim da empresa!

E para piorar, o sistema de SAC de muitas empresas pet é inexistente, você liga e não obtém resultados, ainda é maltratado pois essas empresas que anunciam em revistas, estao nas maiores feiras do setor, lançam coleções e novidades, se sentem agredidas quando lutamos por nosso direito a um atendimento.
Recentemente fiz um levantamento com vários pedidos de empresas, alguns chegaram a demorar quase 30 dias para chegar, isso depois de pelo menos 15 dias de reclamações diárias ( custo das ligações assumido pelo cliente!) ao telefone, onde absurdos como " Tem certeza de que fez pedido aqui?" e " Olha só minha querida, minha empresa vai enviar quando tiver produto pois meus clientes antigos tem preferência tá?" me assustam e muito!

Realmente não entendo por que existem empresas, distribuidoras e representantes assim....

O Mercado precisa expurgar profissionais deste nível se busca uma relação saudável de sustentabilidade!

Comentários

lfsvet disse…
Sérgio, é excelente o seu blog e a forma como vc expressa seus conhecimentos.
E sempre tento colocar o marketing no dia-a-dia da minha profissão, tento criar algum vínculo com meu cliente, tento fidelizar, enfim..idéias nunca me faltam.
Li em uma revista de negócios que saber colocar em prática uma idéia é muito mais importante do que ter grandes idéias. E aí está o ponto em questão: tenho excelentes idéias, mas praticá-las (e tudo que envolve este processo), não tenho tido capacidade. Por exemplo, criei o Dia do Auxílio, tenho idéia demandar fazer camisetas com a logomarca do consultório e presentear os melhores clientes e os mais ativos e fidleizados, uma cliente me indicou para ser o responsável por um blog em um site muito visitado aqui em Curitiba e disse que eu poderia ganhar dinheiro com isto, pelo visto não tô sabendo como fazer...
enfim....quando vc vier para Curitiba fazer palestra ou curso, me avise, ok!
Seria interessante ter algum curso de especialização ou mesmo mini-curso sobre marketing e implementação de idéias, para médicos veterinários!
Um grande abraço
Valéria disse…
Olá, Sérgio!

Não sou veterinária, ERA lojista e sempre que você vinha a São Paulo, acompanhava suas palestras. Sou sua fã há alguns anos!!

Enfim, frente aos acontecimentos econômicos do país e a pobre cultura do nosso povo, resolvi fechar a loja, aproveitando que os donos do imóvel onde eu havia alugado, resolveram colocá-lo à venda.

É muito triste estudar o mercado por mais de 4 anos, fazer cursos e mais cursos, estudar o bairro, a clientela, abrir empresa e fazer tudo como manda o figurino para não cair naquela mesmice: "adoro cachorrinho e gatinho, então vou abrir um pet". E no final morrer na praia e perder a concorrência para aqueles que se dizem "lojistas", que não têm empresa aberta, trabalham de forma precária e porca, e ainda usam sabão de côco para desengordurar o bicho.

Infelizmente, esse negócio de agregar a venda, bom atendimento e conhecimento no que está se fazendo não adianta de nada. O que adianta de verdade é você ter muuuuito dinheiro pra fazer uma boa compra à vista e com desconto e queimar a mercadoria para o cliente. Aí você tem valor! E como tem!!!

Pelo meu amor e facilidade em lidar com gatos, me especializei em estética felina. Fui convidada a mostrar meu trabalho em emissoras de TV locais, jornais grandes e revistas do segmento pet. Alguns clientes literalmente fugiram da loja, de medo que eu aumentasse o preço do serviço, por simplesmente aparecer em algumas mídias. Recebi várias ligações telefônicas com esse argumento, de pessoas diferentes e que não se conheciam. Absurdo!!! Aí vc me pergunta onde eu moro... Pasme: na Grande SP!

Estou perplexa e ao mesmo tempo feliz de voltar à minha condição de proprietária de bicho e consumidora final, porém consciente das coisas que acontecem no mercado que por mais de 5 anos, ouvi que está em crescimento. Só não sei a que qualidade!!!!

Portanto, Sérgio, continue com seu ótimo trabalho, abrindo os olhos de veterinários e empresários, pra ver se a coisa melhora um pouco!

Afinal, como já dizia a música: "homem primata, capitalismo selvagem".

Grande abraço,

Valéria.

Postagens mais visitadas