Coisas que me fazem pensar...

Recentemente um professor de uma faculdade de Medicina Veterinária registrou que não indicaria que seus alunos se inscrevessem em meu curso de Responsabilidade Técnica para Mercado Pet por que ele tendo pós doutorado não acreditava que eu tivesse capacidade e qualificação acadêmica para dar o curso visto que não tenho mestrado e nem doutorado ( em qual área fosse da Medicina Veterinária diga-se de passagem...) então o curso não seria " de qualidade" ....

Confesso que achei que fosse me incomodar mais e me sentir magoado, ofendido, humilhado afinal este dito professor sequer me conhece,  sequer conhece meu trabalho  e principalmente tenho a certeza absoluta que sequer sabe o que é Responsabilidade Técnica em Mercado Pet, e bastou que ele visse que no material de divulgação do meu curso não estivessem as palavrinhas mágicas Mestrado em... Doutorado em... Pós Doutorado em... que ele automaticamente me classificasse como inepto, incapaz e de qualidade inferior ....

 Mas sinceramente eu acho que eu hoje busco a compreensão e a aceitação da realidade como forma de auto-preservação de meu próprio limite moral e ético, para tb não esquecerde citar o meu limite profissional, o que somando tudo não passa da expressão de meu limite como ser humano.

Sinto pelos alunos que recebem este tipo de orientação preconceituosa por parte de um profissional que está no processo de formação ética de seus comportamentos profissionais, sinto por aqueles que não tiveram força para perguntar e questionar tal comportamento...mas é o que posso fazer...

Eu devo e muito a profissionais com especialização,com mestrado, com doutorado e com pós doutorado por todas as ferramentas que eu absorvi pelo conhecimento trasmitido por eles,seja na Medicina Veterinária, seja na Administração e Marketing e é por esse respeito que não vou entrar em uma discussão banal, estatutária, pseudo-elitista, pseudo-profissional e simplória sobre o valor das titulações e do conhecimento adquirido no que costumo chamar de chão de fábrica... questionarei sempre o quanto eu poderei ajudar a transformar a vida de uma pessoa que a mim chegar pelos caminhos da vida, seja numa palestra, em um curso, workshop, congresso, estágio, orientação profissional ou mesmo uma simples conversa entre dois seres humanos...com ou sem papel, título ou empáfia que não leva à nada, o que eu quero é me sentir CAPAZ de ajudar ao meu próximo e a honrar a minha escolha profissional... e fazer o que puder para transformar o que me for permitido dentro da Medicina Veterinária...

Se em um determinado estado do Brasil eu não sou considerado capacitado tecnicamente para dar meu curso, eu sinceramente não me importo, afinal, quem me julga? Quem me avalia? Quem me critica?
Sinceramente não vejo ninguém que possa ou seja capacitado ( ops esse termo foi usado antes?)

 Bem, tem alguém sim... Deus em sua certeza de que o livre arbítrio fornecido é mesmo uma grande dádiva...

E isso me faz lembrar de uma frase do nosso mundo popular ( Oh meu deus , não vou usar uma citação acadêmica, serei eu crucificado por isso??? ....Risos soltos e despreocupados me ecoam pela alma...rs)

" Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é...."


Eu escolho seguir trabalhando...afinal...temos muito o que fazer na Medicina Veterinária e no Mercado Pet, dentro e fora do ambiente acadêmico...basta querer fazer....com ou sem título, mas com trabalho....

Comentários

Elenice Dias disse…
É isso aí Sergio, o canudo não quer dizer nada, o importante é a experiência do dia a dia. Não sou Veterinária, sou Psicóloga q trabalhou vinte anos na profissão e dei muitas cabeçadas, e vi que trabalhar com animaizinhos é melhor que gente. Vai fundo meu amigo, embora eu não te conheça pessoalmente. O sucesso incomoda as pessoas, principalmente aqueles que se enaltecem com mestrados, doutorados e outros títulos.

Postagens mais visitadas