"Oportunidades de investimento no negócio de pet shop no Brasil” (Por Sergio Lobato)





Um novo eldorado para investimentos oriundos de empresários de vários segmentos surge no complexo cenário político-econômico mundial sacudido por crises econômicas em países outrora estáveis e líderes da geografia sócio-política-financeira mundial.

Com um crescimento sustentado em políticas de controle ainda iniciais, baseadas nas ferramentas que foram implementadas pelos governos anteriores ao atual, que por sua vez colhe os louros da estabilidade conseguida através desses anos de ajustes superficiais na economia, o Brasil passa a ser foco da atenção para o fluxo de investimentos mundiais.
Mais do que estar na moda, o Brasil passa a representar um porto seguro para investimentos em várias áreas por que apresenta condições extremamente favoráveis aos resultados esperados por empresas de vários segmentos como, por exemplo, aumento de poder de compra de uma população sedenta por bens de consumo e status, população que por anos ficou à margem da massa de consumo nacional, mas que hoje cresce em ritmo acelerado.

 Temos ainda um cenário de oportunidades em vários segmentos que não contam com empresas e nem profissionais capacitados em razão do enorme buraco negro educacional na formação da mão de obra brasileira aliado à uma forte demanda comportamental para o consumo em vários nichos específicos, como por exemplo o mercado de produtos e serviços para animais de estimação.

Este cenário aberto ao pesado investimento pet apresenta, entretanto algumas peculiaridades que se traduzem em diferenças regionais, posicionamentos de consumo, legislação inadequada, falta de fiscalização em setores operacionais vitais, problemas de distribuição e logística, falta de investimento em infra-estrutura e mão de obra para os diferentes formatos e modelos de negócios pet e veterinários no país, alta carga tributária e a tradicional lentidão das esferas fiscalizatórias do segmento em se adequar à velocidade de transformação do mercado pet como um todo.

Recentemente fui questionado por um órgão fiscalizador sobre como proceder sobre a inscrição legal de um novo formato de negócios em sua área de atuação, visto que a ferramenta jurídica que regulamenta este tipo de atividade pet não aborda esta novidade, fruto da demanda por anos reprimida, e que hoje é uma realidade nas grandes cidades do Brasil.

Este questionamento vem ao encontro do que foi citado anteriormente neste texto, e mostra como as nossas entidades de fiscalização do setor estão despreparadas para lidar com o conceito de Inovação em Negócios Veterinários.


Por décadas o mercado pet brasileiro crescem quantitativamente em várias praças, com características comuns como :

Mão de obra com baixo nível técnico
Fiscalização equivocada
Pouca ou nenhuma formação em gestão de serviços
Pouco investimento em pesquisa de mercado
Legislação sem adequação0
Ausência de uma política de promoção e divulgação correta junto ao mercado consumidor

E mesmo assim , com todas essas falhas operacionais, crescemos a ponto de ser hoje o segundo maior mercado pet do mundo!
O que poderia acontecer se resolvêssemos essas questões?
Bem, o cenário é complexo e demanda posicionamento profissional, político e claro muito investimento, mas é neste cenário que residem hoje grandes oportunidades para empresas dos mais variados segmentos investirem de forma consciente, estratégica e até certo ponto agressiva pois a criação de demandas e possibilidade é hoje um terreno fértil.

Ao ter a oportunidade de viajar de norte a sul do Brasil em meu trabalho de consultoria , percebo um momento de latência mercadológica capaz de explodir em transformação em segmentos como:



Distribuidoras de Produtos Veterinários
Centros de Diagnóstico e Exames Veterinários
Complexos Hospitalares Veterinários
Serviços Acessórios
Tecnologia da Informação
Centros de Treinamento Pet
Centros de Ensino Veterinários

Vamos fazer algumas considerações sobre cada formato?
Distribuidoras de Produtos Veterinários – Em uma país de dimensões continentais, aliado ao desenvolvimento de regiões e cidades antes relegadas a segundo plano, e que hoje em razão por exemplo do crescimento do agronegócio em regiões como o Centro-oeste brasileiro, a necessidade das indústrias do segmento veterinário em contarem com uma excelente rede de distribuidores capacitados a atender essas novas regiões de consumo torna-se um ponto de extrema importância no planejamento estratégico dos investidores, pois os consumidores dessas regiões não estão mais no patamar do recebimento de uma oferta de segunda classe, buscam produtos que por intermédio das mídias sociais, web e televisão chegam às suas casas e aos seus desejos de consumo, tornando este um desafio mas também um fértil campo para o investimento.

Centros de Diagnóstico e Exames Veterinários/ Complexos Hospitalares Veterinários – por muitos anos a formatação dos serviços veterinários brasileiros ficou estacionada em um patamar de qualidade e planificação física que estão muito aquém dos padrões mínimos exigidos pela própria legislação dos ambientes ditos de saúde, mesmo por que a própria classe veterinária brasileira teve lacunas graves na sua formação e conscientização sobre ser parte integrante do sistema de saúde brasileiro, atitude também reforçada pelos sucessivos governos que jamais valorizaram a classe como deveriam. Porém a demanda pela melhor apresentação.formatação e entrega dos serviços veterinários mais uma vez veio a cardo da sociedade consumidoras dos serviços veterinários e de visionários profissionais que entenderam de uma vez por todas que em se tratando de investimento em Marketing de Serviços , a formatação superior de seus estabelecimentos os colocaria em posição privilegiada.

O setor ainda carece de investimentos em várias cidades brasileiras, o que torna o mesmo um foco da atenção dos futuros investidores que buscam atuar nesse mercado.

Serviços Acessórios – Neste ponto devemos abrir as portas para todas as atividades que estejam direta ou indiretamente relacionadas com o mercado pet como os serviços de adestramento, delivery de animais e produtos, hotelaria pet, serviços de conveniência pet e todo e qualquer serviço que possa se especializar no segmento como por exemplo designers de interiores e mídia pet.

Tecnologia da Informação – Mais um setor onde existe uma lacuna de investimentos , e ainda uma certa refratariedade por parte dos usuários desses serviços no mercado pet, que encontram dificuldades em ter suas necessidades corretamente atendidas pelos diversos softwares de gestão disponíveis no mercado, bem como a ausência de um treinamento intensivo e adequado,muitas vezes customizado por parte das empresas do setor.

Centros de Treinamento Pet e Centros de Ensino Veterinários – Em face da completa falta de profissionalismo na formação de funções como vendedores, atendentes de unidades veterinárias, gerentes de petshops, pessoal de apoio ao serviço veterinário, o investimento em centros de treinamento e módulos de qualificação profissional torna-se uma oportunidade de investimento indireto no Mercado Pet Brasil, visto que essa mão de obra é demanda certa para os novos estabelecimentos que por ventura possam se estabelecer nesse novo momento.
No segmento de Higiene e Estética Animal, existem em alguns pontos do Brasil centros de treinamento, mas a não uniformização dos padrões mínimos de formação dos profissionais, previsto em recente legislação do Ministério do Trabalho, estão longe de serem atendidos em sua totalidade, o que gera um fico de investimento porém com necessidade de uma alta especificidade técnica.

No que diz respeito à formação Veterinária no Brasil, com o elevado número de universidades a formação dos profissionais brasileiros tem sido crítica freqüente e com isso surgem os cursos de especialização e qualificação profissional que mais do que especializar estão sanando as deficiências da formação do Médico Veterinário brasileiro em universidades que não possuem estrutura física, técnica e nem operacional para formar bons profissionais, o que cria um campo de investimento na área educacional.
Aliado a isso, a necessidade de encontrar locais que possam abrigar as especificidades técnicas de um curso como Medicina Veterinária tem sido uma oportunidade para investidores que desejem criar centros equipados com salas de aulas, auditórios e laboratórios adequados aos projetos educacionais que ali sejam desenvolvidos, em um patamar de extensão universitária.

Existem muitos outros formatos/serviços/produtos que encontrarão espaço em nosso mercado, porém o maior desafio das empresas estrangeiras interessadas em investir no mercado pet brasileiro será investir na pesquisa prévia para uma correta adequação e customização aos:
- diferentes patamares de necessidade nos quais os consumidores brasileiros estão estratificados
- complexos panoramas tributários
- distintos padrões de comportamento regionais
- requisitos básicos para uma complexa comunicação empresarial focada no consumidor de produtos e serviços veterinários
- processos de relacionamento com a classe veterinária brasileira
- mecanismos e formatos estabelecidos de promoção e divulgação das necessidades e desejos dos consumidores pet que engessam a inovação no setor

As oportunidades são como luzes de um farol, e assim são no mercado pet brasileiro..um guia seguro, um caminho a ser seguido em segurança desde que o investidor esteja disposto a seguir o caminho indicado pela luz da inovação, da pesquisa, da adequação e com certeza atingir a terra firme do retorno de seus investimento em solo brasileiro.


Comentários

Kátia Soma disse…
Oi Sérgio! Amei o post! Mostrou que há muitas outras possibilidades além daquelas previstas pela vida acadêmica. Com certeza repensarei o rumo da minha vida daqui pra frente!Beijos!

Postagens mais visitadas