Segmentação de Mercado Veterinário..onde tudo começa?


Um dos maiores desafios profissionais a serem enfrentados pelos Médicos Veterinário começa ainda no universo acadêmico, durante a sua formação universitária quando entra em contato pela primeira vez com a enorme gama de oportunidades e de opções que a Medicina Veterinária oferece àqueles que pretendem atuar em seu campo fértil de trabalho.

O conjunto de áreas oferecidas é de certa forma uma overdose de informações apresentada de forma seriada de acordo com o programa e o conteúdo de temas de cada universidade, de cada programa educacional.
O que deveria ser a construção de um cenário de possibilidades e ofertas, muitas vezes entretanto, se torna um problema crônico na formação de Médicos Veterinários com um posicionamento tendencioso na formação dos novos profissionais, direcionando os mesmos de forma quase automática para esta ou aquela determinada área de atuação do Médico Veterinário, seja por tradição do centro acadêmico onde ele se encontra, seja pela própria idéia pré-formada do que é “ser médico veterinário” ou mesmo por questões sócio-econômicas que guiam as decisões dos futuros profissionais como por exemplo decidir por atuar como empregados ao invés de constituir negócios próprios.

Começa então a segmentação do serviço veterinário ainda na escola gerando comportamentos de certa forma aprendidos, porém pouco compreendidos, nos novos profissionais que após serem apresentados a esse cenário, bem como à introdução de novas disciplinas e áreas de atuação que antes desconhecia e que lhe são apresentadas durante sua formação, passam a compor o menu de opções profissionais disponíveis para a construção de uma carreira em Medicina Veterinária

Por influência ou interferência , o profissional desenvolve sua orientação profissional para determinada área do conhecimento Médico Veterinário, buscando por afinidade inicial , desenvolver as ferramentas que garantam que sua formação será direcionada para a área em questão, a área escolhida por ele, na qual espera construir uma carreira de sucesso, desenvolver-se economicamente e socialmente e justificar os anos de estudos gastos em sua formação acadêmica.


Porém reside no equilíbrio das forças de influência (que irei denominar aqui como forças positivas) com as forças de interferência (que irei denominar aqui como forças negativas) o resultado produtivo e pró-ativo para uma construção correta do conceito de segmentação na mente do profissional Médico Veterinário.

E o que vem a ser as chamadas forças de influência?

São as orientações positivas na formação do médico veterinário, a oferta do maior número possível de experiências vivenciadas no período acadêmico como estágios  supervisionados em várias áreas, disciplinas ofertadas com qualidade em todos os segmentos da grade curricular, estímulo ao rodízio de atenção e formação seriada e construção de cenários.

Já as forças de interferência são aquelas que limitando ou tornando tendenciosa a formação do profissional acabem por direcionar de forma errada as opções de cada profissional, bem como a própria interpretação do cenário veterinário, focando em apenas esta ou aquela área profissional sem dar chances para que o profissional estude a área, analise suas habilidades e competências além de verificar as oportunidades de crescimento e ou saturamento da área escolhida em uma determinada área geográfica onde por ventura possa vir a decidir por investir recursos na construção de um estabelecimento veterinário ou ainda, escolher uma área de especialização.

Essa construção do processo decisório deve ser avaliada com cuidado pelos responsáveis pela formação acadêmica nos cursos de Medicina Veterinária que tendem a demorar um pouco mais no processo de transformação para responder à velocidade de transformação com que o mercado consumidor de serviços veterinários, a economia como um todo, e aos perfis desejados pelas indústrias e empresas da área de serviço, bem como pelo próprio consumidor final, dos profissionais que atenderão aos desejos e necessidades atuais.



O processo de segmentação começa muito mais cedo do que se tradicionalmente imagina na formação do Médico Veterinário, e estar atento a essa questão é fundamental aos que pretendam desenvolver visão competitiva estratégica capaz de colocar sua carreira e seu estabelecimento veterinário em um patamar diferenciado, mesmo que ainda na etapa de planejamento e construção do mesmo em um campo de visão a curto, médio e longo prazo.



As universidades devem a todo custo modificar as estruturas retrógradas da formação Médica Veterinária, expondo seus acadêmicos ao máximo de referências externas ou acolhidas no ambiente acadêmico, tornando-se ambientes ricos em oferta de informações sólidas para a segmentação profissional precoce, criando um cenário de oportunidades onde, estando as portas abertas, o fluxo de informação possa ser realizado em duas vias.

Comentários

Postagens mais visitadas